ERP – Algumas dicas que ajudam na implantação

Implantação de ERP é ruim, mas troca pode ser pior ainda   😀 

Não é um tutorial e sim “dicas”.

Segue esse post com algumas dicas para que esse projeto seja o menos traumático possível.

LOUCO1-600x300

Dica 1: “Primeiro contrate um bom contador, depois pense no ERP”

Roberto Duarte, em um post sobre o assunto, aborda algo que poucas empresas se preocupam, mas que é crucial na hora de escolher um ERP. Não há como pensar em ERP se o contador não tem know how para se adaptar as grandes mudanças que a troca de um ERP traz as empresas e até mesmo para fazer um bom uso do sistema.

Dica 2: “Cuidado com os módulos, desenhe seus processos”

Exemplo: Quero tomar sorvete na casquinha. Compro o módulo que Faz Sorvete. Posso tomar sorvete? ainda não. Compro o “Módulo Casquinha”. Posso tomar sorvete? ainda não, porque o modulo ” pá de sorvete ” é o  módulo integrador entre o sorvete e a casquinha.

Então desenhe todos os processos ou mantenha completo envolvimento com quem vai desenhar os processos. Se os processos não refletirem a realidade da empresa, desista do projeto. Porque como comprar um produto que não sei se vai atender as necessidades da empresa? E quando não funcionar, o primeiro a ser chamado para “resolver” é a TI da empresa. Com os desenhos em mãos, serve como documento para homologar o ERP na faze de testes, até porque, será testado o que está no desenho, certo?

Dica 3: Os usuários do ERP querem a troca ?

Se a resposta for não, lascou! São eles que irão usar. Se o cliente do ERP não entender a importância da troca/implantação, como a implantação terá sucesso? Quando os clientes do ERP desejam a troca, aí o projeto passa a ser deles também. Entendeu a mágica? Workshop com usuários chave de cada setor ajuda e muito a conseguir algumas resposta, e a principal delas é se o sistema serve a realidade da empresa.

Dica 4: Horas de treinamento

Aqui pode acontecer uma economia interessante. Eu disse que “pode ocorrer”.

Ao invés de treinamento baseado em simulação, realizar tarefas pode ser mais preciso. Até porque, o usuários já vai ficar por conta dessa “tarefa/treinamento”, então, elaborar tarefas baseado no dia a dia que o usuário viverá com o uso do sistema. Uma experiência legal que tive foi, nessas tarefas, mostrar ao cliente do sistema as vantagens de usar o novo ERP. Isso motivou os usuários a terminar as tarefas o mais rápido para ai ao “go live ” o mais rápido possível.

Graça e Paz

Rodrigo Duda

Anúncios

Sobre Rodrigo Duda

- Amo a Deus - Casado e tenho um garotão - Prof. Escola Bíblica Dominical - ( Maior e mais antiga faculdade de Teólogos no mundo ) - Na área de informática estou desde muleque. Já profissional apartir de 2004, chegando hoje com conhecimentos em SAB B1, SeniorERP, Windows Server, SQL, VMware, Linux, Infra, Projetos, Telecom. Ver todos os artigos de Rodrigo Duda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: